Precisamos ter mais dias da Consciência Negra

O Brasil e a Consciência Negra

Na semana da Consciência Negra, segundo os “entendidos de Facebook”, que esperam avidamente pelo 20 de novembro pra colocar o vídeo manjado do Morgan Freeman, tal data não deveria existir, afinal de contas, se parar de falarmos sobre o racismo, ele “puf!” acaba.

SÓ QUE NÃO. Cada vez mais mostra-se necessário falar sobre o racismo e todos seus aspectos e facetas, só assim poderemos combater algo que é tão naturalizado nas relações humanas. Pra ilustrar o quanto precisamos muito e sempre falar sobre nossa origem e exigir igualdade de direitos, vou comentar três matérias recentes publicadas na imprensa:

Foto: Alile Dara Onawale

1- “Cresce taxa de assassinatos de mulheres negras no Brasil

As mulheres negras são as que mais sofrem agressão. Além de sofrerem pressão da sociedade por não pertencerem ao padrão de beleza eurocêntrico aceito, sofrem dentro de casa também. Com o mito da “Mulher Negra Forte”, ela sofre nas mãos do próprio marido, que a violenta sistematicamente, seja de forma verbal ou física.

 

2- “Quase 70% dos desempregados no Brasil são de pretos e pardos

Não importa a escolaridade (que é predominantemente baixa), as pessoas negras e afrodescendentes são as que mais levam portadas na cara quando o assunto é emprego. E quando conseguem, a taxa de permanência é curta (muitas vezes também devido ao racismo, afinal, quando sofrem discriminação raramente alguém se compadece e chama a atenção do racista – o negro sai perdendo nesses casos), o que acaba os empurrando para o trabalho informal. Sem contar que com o retrocesso da reforma do (des)governo atual, novamente pretos e pardos saem perdendo, com um ambiente criado de forma tóxica para o trabalho.

 

3- “Willian Waack diz que ‘é coisa de preto‘”

Quem é esperto e escolado nos níveis de racismo que a população negra sofre, sabe que o maior erro do Waack foi ter sido gravado. Racismo é o crime perfeito porque, no afã da branquitude de se defender, ou ninguém sabe, ou ninguém viu, ou “era só brincadeira”.  E foi essa última alternativa que um monte de gente se encostou para defendê-lo. Essas “brincadeiras” são ouvidas pelos negros a vida toda, inferiorizando tudo o que fazem, porque afinal, tudo que é “coisa de preto” é coisa ruim. Nego é isso, nego é aquilo, mas nego nunca é ou faz coisa boa. Se já houve 320 anos dessa brincadeirinha (babaca), a branquitude não está disposta a parar agora. E ainda ficam incomodados quando têm sua atenção chamada por causa disso. Ele foi apenas suspenso do seu cargo de âncora, mas é pouco. Se bem que, como todos sabemos, se ele for demitido, donos de tevê o abraçam, como um prêmio por seu racismo.

 

4- “‘Black is Beautiful’, mas só no papel higiênico

Aqui eu só quero citar o texto do Anderson França, que foi o mais maravilhoso e preciso sobre o tema. Usar o slogan é deslegitimar toda uma luta de décadas, e não dá pra pensar que a marca fez sem pensar, tal e qual a propaganda da Dove.  Ele diz:

“Se você digitar “black is beautiful” em QUALQUER LUGAR DO MUNDO, você encontrará referências a Angela Davis, Malcolm X, O Partido Panteras Negras para Autodefesa, Fela Kuti, James Baldwin, Nina Simone,
mas não no Brasil.”

Dia 20 lembra mais uma vez que nossos dias são todos de luta, mas que as outras pessoas nos escutem. Para que o “dia da consciência humana” chegue, precisamos sim conversar sobre as diferenças que nos cercam. Por ora, a fala das “outras consciências” é apenas desonesta e tem o objetivo da manutenção do Status quo.

PS: Bonecas Abayomi foram espalhadas pelo Terminal de Transporte Urbano de Foz do Iguaçu com muito amor pela madrugada e, por puro desprezo, foram chamadas de “macumba” por um monte de gente. Precisamos sim, sempre, conversar sobre a cultura negra.

PS2: Minha religião também não deveria servir de fantasia pra festa. Tem gente tomando pedrada e perdendo terreiro por professar nossa fé/ nossa religião.

 

 

Thaiza Macedo, primavera de 1985. Letras Português/Espanhol e Jornalismo. Carioca, suburbana, negra e sambista. Nadando contra a corrente, só pra exercitar. Gosta de futebol, de cultura pop mundial, de calor, carnaval e lobisomens, não necessariamente nessa mesma ordem. Só fique se puder conviver com isso.

Publicado originalmente em https://ninhodemafagafas.com/2017/11/20/precisamos-ter-mais-dias-da-consciencia-negra/

* Links e referências:
– O novo papel higiênico preto da Personal não é racista, mas seu slogan sim: https://www.buzzfeed.com/ramosaline/o-papel-higienico-preto-nao-e-racista-mas-seu-slogan-sim?utm_term=.fmk3NPDGA#.krMvqOYnD
– Perícia atesta que Waack se queixou de coisa de ‘preto’: http://f5.folha.uol.com.br/televisao/2017/11/pericia-indica-que-william-waack-afirmou-coisa-de-preto-em-video-vazado.shtml

– 63,7% dos desempregados no Brasil são pretos ou pardos, aponta IBGE: https://g1.globo.com/economia/noticia/637-dos-desempregados-no-brasil-sao-pretos-ou-pardos-aponta-ibge.ghtml 
– Cresce taxa de assassinatos de mulheres negras no país, aponta Ipea: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2017/06/05/internas_polbraeco,600220/cresce-taxa-de-assassinatos-de-mulheres-negras-no-pais-aponta-ipea.shtml

Facebook Comments

Deixe uma resposta